post img

Santo Antão oferece um cenário de tom verde pintalgado, aqui e ali, pelo, quase sempre, casario colorido. Entre socalcos e vales, os inúmeros labirintos formados pelas levadas, dão sustento à cana-de-açúcar que tão bem resulta num distintivo e artesanal grogue.

A Ribeira Grande, o Vale do Paúl e o Topo da Coroa são o culminar de toda a bele-za incessante desta ilha, composta de extensas áreas basálticas, de trilhos e caldeiras, tornando-a um lugar apetecível para a aventura e desportos, como o canyoning, caminhadas, pesca desportiva e tantos outros que, reen-contram no próprio ser, uma mente sã em corpo são. Mas a grandiosidade da ilha não termina aqui, os usos e cos-tumes das suas gentes trazem consigo um espírito entre o profano e o sagra-do, entre a alegria e a tranquilidade. “Tarrafal de Monte Trigo”, “Pico da Cruz”, “Cova” e o farol “Fontes Pereira de Melo” irão, com certeza, cativar o olhar e os sentidos dos visitantes.


post img

A ilha de Santo Antão, a segunda maior ilha de todo o arquipélago cabo-verdiano, é dominada pelas sobranceiras montanhas que popularizam a figura do conhecido Topo de Coroa, um vulcão que marca a história desta ilha e que constitui o segundo pico mais alto do arquipélago, com 1.979 metros de altura.

As ravinas e os vales, a norte, a paisagem desértica e árida, a sul, proporcionam cenários de extrema beleza e contrastes marcantes.


post img

Talvez seja este o lugar ideal para experimentar o melhor grogue de Cabo Verde, uma bebida de elevado teor alcoólico, produzido com cana-de-açúcar. No caminho de Porto Novo para Ribeira das Patas, poderá visitar uma exploração agrícola que, hoje, é uma experiência única, em Cabo Verde, de aldeia turística auto-sustentada.



post img

Sendo uma ilha de assinaláveis montes e picos, levadas e vales, Santo Antão proporciona uma infinidade de actividades desportivas, entre as quais se destacam as caminhadas, o trekking e bicicleta.

Deixe-se levar pelos trilhos já existentes e envolva-se nas paisagens cénicas e formosas da ilha que um dia separou os territórios português e espanhol, no Tratado de Tordesilhas.