post img

A ilha de Santiago, considerada a mais africana de todas e onde os contrastes são mais nítidos, oferece uma infinidade de montanhas e vales, percursos e trilhos, naquela que é a maior ilha do arquipélago e que acomoda metade da população do país.

Berço da cabo-verdianidade, a ilha oferece uma riqueza cultural, gastronómica e paisagística, únicas, para além de belas praias. É aqui também que encontrará as memórias de outros tempos, no silêncio e nas ruínas da Cidade Velha, antiga Ribeira Grande, primeira cidade portuguesa. Possui igualmente bonitas baias e enseadas. Os de São Martinho, Praia-Baixo e São Francisco, bem como o de Tarrafal e o de Ribeira de Prata, merecem uma visita e…um mergulho obrigatório. O mercado do sucupira (mercado popular) e o de verduras na cidade da Praia constituem, também, passagens obrigatórias. A cidade da Praia está igualmente a se posicionar como um centro de conferências e Ilhas regionais e internacionais. A ilha possui um aeroporto e porto internacionais com ligação aos principais mercados emissores. Venha daí e deixe-se envolver pela magia contagiante da ilha mais africana do arquipélago.


post img

A multiplicidade artística de Cabo Verde tem forte expressão na capi­tal, a cidade da Praia. Existe uma ampla oferta a nível de restaurantes, bares, museus e actividade culturais, desportivas e de lazer.

Nos muitos restaurantes existentes, a gastronomia é variada e de sabores únicos, oferendo desde pratos típicos, como a cachupa, às especialidades com peixe e marisco, acompanhadas, quase sempre, de música ao vivo aos fins-de-semana. Dê um pas­seio pelo Platô, centro histórico e nevrálgico da cidade da Praia, e descubra a agitação do mítico restaurante “Quintal da Música”, que proporciona noites e momentos inesquecíveis de convívio, sabores, aromas e riqueza artística.


post img

Para além do fulgor da capital, Santiago é uma ilha de montanhas escarpadas, rochas vulcânicas e vales verdejantes. Nesta viagem pelo interior místico, não deixe de visitar o colorido mercado da Assomada, um importante ponto comercial, com um ambiente singular, numa mistura entre campo e cidade.

Não perca tam­bém o vale de S. Domingos, o Pico d’ Antónia (o ponto mais elevado da ilha), nem tão pouco deixem de visitar o Jardim Botânico de S. Jorge, “Rui Vaz”, o Parque Natural de Serra Malagueta, Calheta de São Miguel e Santa Cruz, não esquecendo São Lourenço dos Órgãos e São Salvador do Mundo.


post img

Santiago é a ilha de todos os contrastes, desde as praias amenas, às paisagens únicas, aos traços da ruralidade no interior, passando pelos fragmentos de história que nos transportam a épocas longínquas. Conheça o berço da nacionalidade cabo-verdiana – Cidade Velha – onde reina, imponente, a Fortaleza Real de São Filipe.

Visitar Santiago é descobrir as raízes do país e as marcas do povoamento, enquanto se deixa envolver pela morabeza e pelos ritmos frenéticos do batuque. Uma visita à comunidade dos “Rabelados” (comunidade que ficou muitos anos isolada do resto e que manteve modos de vida ancestrais) impõe-se ao visitante. Após uma agradável viagem pelo interior da ilha, chegamos a uma baía rodeada de coqueiros, onde fica uma das praias mais paradisíacas de todo o Arquipélago de Cabo Verde: o Tarrafal. O concelho, que se localiza no norte da ilha de Santiago, alberga também o ex-campo de concentração do Tarrafal, hoje transformado em museu. Criada pelo Governo Português em 1936, a Colónia Penal do Tarrafal, também conhecida como “Campo do Tarrafal”, foi durante anos local de atrocidades e atentados aos direitos humanos, até ser encerrado em 1954.